top of page

DHL investe em iniciativas globais para beneficiar a sustentabilidade ambiental.

A DHL anunciou uma série de medidas para reduzir suas emissões de carbono e contribuir para um futuro mais sustentável. Entre elas, estão o investimento de 7 bilhões de euros em soluções verdes até 2030, o uso de veículos com tecnologias alternativas e a compensação de emissões por meio de projetos de reflorestamento.


Opção preferencial pelo meio ambiente

Resumo:

  • A DHL tem meta de zerar emissões líquidas de carbono até 2050.

  • A empresa investe em soluções verdes, como veículos com tecnologias alternativas e projetos de reflorestamento.

  • Entre as opções oferecidas aos e aos clientes encontra-se a de escolher serviços verdes, que compensam as emissões do transporte.

  • A empresa segue a agenda do Acordo de Paris e dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU.

  • A empresa busca envolver seus stakeholders na sua missão de conectar pessoas e melhorar vidas de forma sustentável.


Segundo o relatório de sustentabilidade do grupo, a DHL tem como meta alcançar zero emissões líquidas de carbono até 2050, seguindo a agenda do Acordo de Paris e dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU. Para chegar lá, a empresa estabeleceu três compromissos principais: proteção ambiental, responsabilidade social e boa governança.


No âmbito da proteção ambiental, a DHL tem investido em diversas iniciativas para reduzir suas emissões de carbono e aumentar sua eficiência energética. Uma delas é o investimento de 7 bilhões de euros em soluções verdes até 2030, que incluem a renovação da frota de veículos, a otimização das rotas e dos processos logísticos, a utilização de energias renováveis e a inovação em embalagens e reciclagem.


Outra iniciativa é o uso de veículos com tecnologias alternativas, como elétricos, híbridos, movidos a gás natural ou biocombustíveis. Segundo o site da empresa, esta possui cerca de 13.500 veículos com essas tecnologias em sua frota global, além de cerca de 27.000 bicicletas para entregas urbanas. A empresa também tem parcerias com fabricantes de veículos para desenvolver soluções personalizadas e sustentáveis para suas necessidades logísticas.


Além disso, a DHL tem compensado suas emissões inevitáveis por meio de projetos de reflorestamento e conservação florestal em diferentes partes do mundo. A empresa oferece aos seus clientes a opção de escolher serviços verdes, que incluem a compensação das emissões geradas pelo transporte das suas encomendas. Segundo o relatório de sustentabilidade do grupo, a DHL compensou mais de 4 milhões de toneladas de carbono em 2019.


Entre as iniciativas voltadas para a questão ambiental de suas operações no Brasil, estão a certificação de sustentabilidade para empresas parceiras no transporte rodoviário, o uso de energia renovável em seus armazéns próprios e a adoção de combustíveis limpos em sua frota.


Como estímulo criou um programa de certificação de transportadora verde, que identifica e incentiva os subcontratados que já estão contribuindo para a logística sustentável. As transportadoras devem ter uma estratégia ambiental ou de sustentabilidade em vigor, medir sua emissão de gases estufa e ser transparente com seus dados. Um exemplo é o projeto piloto realizado em parceria com a Scania, que testou caminhões movidos a gás natural veicular (GNV) e biometano nas operações brasileiras.


Outra medida adotada é o uso de Certificados de energia renovável (iRECS) em seus armazéns próprios, que neutralizam suas emissões com o consumo de energias limpas e zero combustíveis fósseis. Na América Latina, a empresa conta com 45 edifícios neutros, sendo seis deles no Brasil e no México com a Qualificação LEED®, um selo internacional de construção sustentável.



 

Ligações externas:

Kommentare


bottom of page