top of page

Agro impulsiona emprego em MS e bate recorde em junho

O estado de Mato Grosso do Sul registrou um saldo positivo de 3 mil vagas de trabalho em junho, graças ao bom desempenho do setor agropecuário, Transporte e armazenagem se destacaram.



Leitura rápida:

  • Agro MS cria 3 mil vagas de trabalho em junho.

  • Estado tem recorde de empregos formais no primeiro semestre.

  • Transporte e armazenagem lideram geração de empregos no setor de serviços.

  • Agropecuária é o segundo setor que mais emprega em MS, atrás apenas do comércio.

  • MS tem saldo positivo de empregos pelo décimo mês consecutivo, segundo Caged.

  • Crescimento do agro é reflexo de investimentos em tecnologia e infraestrutura.

  • MS se destaca na região Centro-Oeste pela geração de empregos em todos os setores.


O mês de junho de 2023 foi marcado por um aumento expressivo no número de trabalhadores com carteira assinada em Mato Grosso do Sul. Segundo dados da Carta de Conjuntura do Trabalho, elaborada pela Semadesc (Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento, Ciência, Tecnologia e Inovação), com base nas informações do Caged-MTE (Cadastro Geral dos Empregados e Desempregados do Ministério do Trabalho e Emprego), foram gerados 3.030 novos empregos formais no Estado.


Os setores que mais contribuíram para esse resultado foram Serviços, com 1.224 vagas, e Agropecuária**, com 859 vagas. Dentro do setor de Serviços, os subsetores que se destacaram foram Transportes, armazenagem e correio (425), Alojamento e alimentação (275) e Informação, comunicação e atividades financeiras, imobiliárias, profissionais e administrativas (346). O Comércio também teve um bom desempenho, com 714 novos empregos, assim como a Indústria, com 445.


A variação positiva do Estado em junho foi de 0,49%, acima da média nacional de 0,36%. No ano, Mato Grosso do Sul já acumula um saldo de 24.872 novos empregos, sendo o quarto Estado com a maior variação positiva: 4,17%. Apenas Roraima (4,21%) e os outros dois Estados do Centro-Oeste (GO 4,25% e MT 4,81%) ficaram à frente.


Um dado interessante que não aparece nos relatórios é o estoque de trabalhadores formais no Estado, ou seja, a quantidade de pessoas que estão no mercado de trabalho formal. Hoje, são mais de 765 mil pessoas empregadas, o maior número da série histórica. Esse crescimento se deve em parte aos investimentos públicos e privados que estão ocorrendo no Estado, especialmente na Construção Civil.


Um exemplo disso é o empreendimento da Suzano em Ribas do Rio Pardo, que continua atraindo trabalhadores para o município, que ficou em segundo lugar na geração de empregos em junho, com 3.799 vagas. Campo Grande liderou o ranking, com 5.106 vagas. Outros municípios que se destacaram foram Três Lagoas (1.420), Dourados (1.186), Corumbá (956), Chapadão do Sul (768), Naviraí (734), Rio Brilhante (684), Água Clara (647) e Nova Alvorada do Sul (626).


Os números mostram que Mato Grosso do Sul está em trajetória de recuperação econômica e social após os impactos da pandemia de Covid-19. Há muito tempo, o Estado tem se consolidado como um polo de desenvolvimento regional, com destaque para o agronegócio e os serviços.



 

Ligações externas:


Comments


bottom of page