Wilson Sons investe no segmento de life science no Centro Logístico Santo André.

O segmento de life science – que inclui medicamentos, insumos biológicos e artigos hospitalares – representa cerca de 20% das cargas movimentadas pela Wilson Sons no Centro Logístico Santo André (SP). Temperatura controlada, análise do ar, qualificação das áreas são alguns dos cuidados necessários para o armazenamento desse tipo de produto.


Fonte: Saúde Business


Terminal de Santo André: licenças da Anvisa, Ibama, Inmetro, Exército, Ministério da Agricultura (Mapa), Polícia Federal e Polícia Civil.

Em 2019, o terminal alfandegado em Santo André teve ampliada a área refrigerada em quase 200%. Hoje são seis câmaras frias, numa área total de 2.174 m², com controle de temperatura, que varia de 2ºC a 25ºC. O acesso às câmaras é feito por biometria, e os equipamentos dispõem de uma série de tecnologias associadas para análise de dados e gestão inteligente da carga.

“Fazemos o acompanhamento da temperatura 24 horas, sete dias por semana. Se ocorrer alguma mudança importante, a equipe de CFTV da unidade aciona imediatamente a equipe de manutenção”, enfatiza Thais Sangean, gerente geral dos Centros Logísticos da Wilson Sons.. Ela explica que a empresa tem um sistema de redundância, com contêineres refrigerados, trazendo ainda mais segurança ao armazenamento dos produtos.

Entre as cargas movimentadas estão desde grandes equipamentos médicos, como máquinas de ressonância magnética, a produtos primordiais na pandemia, como testes de Covid-19. “Durante este período, recebemos 1,78 milhões de testes rápidos, e desenvolvemos um projeto de logística, com soluções integradas”, conta a executiva.

Wilson Sons foi responsável pela montagem e etiquetagem dos kits de testes, que foram distribuídos aos locais de destino em todo o Brasil. O material ficou armazenado em área segregada, com controle de temperatura, e sua manipulação foi feita por equipe treinada e certificada, com a coordenação da farmacêutica dedicada a atender os clientes do segmento de life science.

“Nos últimos anos, fizemos uma série de investimentos em tecnologia e infraestrutura para receber com segurança as cargas de life science. São produtos sensíveis, de alto valor agregado, cuja manipulação e guarda seguem normas de segurança muito rígidas” - Thais Sangean.


De acordo com Sangean, a regulamentação é outra questão central para a segurança desse tipo de carga. Ela destaca que o Centro Logístico Santo André conta com uma série de certificações e licenças da Anvisa, Ibama, Inmetro, Exército, Ministério da Agricultura (Mapa), Polícia Federal e Polícia Civil.

Com mais de 20 anos de experiência no segmento de life science, o Centro Logístico Santo André é localizado próximo a importantes elos logísticos, como o Porto de Santos e os aeroportos de Guarulhos e Viracopos. É composto por terminal alfandegado, considerado o maior porto seco do estado de São Paulo, centro de distribuição e serviços de transporte.