top of page

USA quer reduzir emissões do transporte de cargas.

Atualizado: 12 de jul. de 2023

Governo americano anuncia plano para descarbonizar setor logístico até 2050. O Plano é apoiado por empresas, sindicatos e organizações ambientais.


Redução de emissões é prioridade para Casa Branca

Leitura rápida:

  • Transporte de cargas é responsável por 28% das emissões de gases de efeito estufa nos USA.

  • Plano prevê investimentos em infraestrutura, tecnologia e incentivos fiscais para o setor.

  • Objetivo é aumentar a eficiência energética, a eletrificação e o uso de combustíveis renováveis.

  • Medida faz parte do compromisso dos USA de reduzir suas emissões em 50% até 2030.

  • Desafios incluem custos, regulação e coordenação entre diferentes modais de transporte.

  • Estratégia pode gerar benefícios econômicos, sociais e ambientais para o país.


O governo dos Estados Unidos lançou estratégia nacional para tornar o transporte de mercadorias mais ecológico no país. O plano visa reduzir as emissões de gases de efeito estufa do setor logístico em pelo menos 30% até 2030 e alcançar a neutralidade de carbono até 2050.

O transporte de cargas é responsável por cerca de 28% das emissões totais dos USA, sendo o maior contribuinte para o aquecimento global no país. Segundo o Departamento de Transportes, o volume de mercadorias transportadas deve crescer 40% até 2045, aumentando ainda mais a demanda por energia e a poluição.


Para enfrentar esse desafio, o governo americano propôs uma série de medidas que envolvem investimentos em infraestrutura, tecnologia e incentivos fiscais para o setor. O objetivo é aumentar a eficiência energética, a eletrificação e o uso de combustíveis renováveis nos diferentes modais de transporte, como rodoviário, ferroviário, marítimo e aéreo.

A estratégia faz parte do compromisso dos norte-americanos de reduzir suas emissões em 50% até 2030 em relação aos níveis de 2005, conforme anunciado pelo presidente Joe Biden na Cúpula do Clima em abril. O plano também está alinhado com o Acordo de Paris, que prevê limitar o aumento da temperatura global a 1,5°C neste século.

O projeto é apoiado por empresas, sindicatos e organizações ambientais, que reconhecem a importância de modernizar o sistema logístico do país e reduzir seu impacto no clima. Segundo o governo, a estratégia pode gerar benefícios econômicos, sociais e ambientais para os EUA, como criar empregos, melhorar a saúde pública, aumentar a competitividade e fortalecer a segurança energética.

No entanto, também enfrentam-se desafios, como os altos custos de transição para uma economia de baixo carbono, a necessidade de regulação e coordenação entre diferentes níveis de governo e setores da sociedade e a resistência de alguns grupos políticos e econômicos que defendem os interesses dos combustíveis fósseis.


O governo americano afirma que está comprometido em trabalhar com todos os envolvidos para implementar a estratégia e cumprir suas metas climáticas. O secretário de Transportes, Pete Buttigieg, disse que o essa é uma oportunidade histórica para transformar o transporte de mercadorias nos Estados Unidos e no mundo.



 

Ligações externas:

Comentários


bottom of page