top of page

Transporte intermodal de carga cresce no Brasil e atrai investimentos

O mercado de transporte intermodal de carga no Brasil está em expansão, impulsionado pela busca por eficiência logística e redução de custos e emissões.


Transporte intermodal em expansão

Leitura Rápida

  • Mercado em crescimento: CAGR de 8,27% até 2027

  • Benefícios: economia de custos e emissões reduzidas

  • Desafios: falta de motoristas e regulamentações restritivas

  • Segmentação: por componente, modo, indústria e geografia

  • Fusões e aquisições: tendência importante no mercado

  • Terminais intermodais: pontos de transferência de cargas


Segundo um relatório da Mordor Intelligence, o mercado de transporte intermodal de carga deve registrar um crescimento anual composto (CAGR) de 8,27% entre 2023 e 2028, impulsionado pela demanda por soluções logísticas integradas e sustentáveis. O relatório aponta que o Brasil é um dos países com maior potencial para o desenvolvimento desse mercado, devido à sua extensão territorial, à diversidade de modais disponíveis e à necessidade de melhorar a infraestrutura e a gestão do transporte de cargas.


De acordo com dados da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), o transporte intermodal de carga no Brasil cresceu 11,4% em 2020 em relação a 2019, totalizando 26,7 milhões de toneladas úteis transportadas. O modo ferroviário-rodoviário foi o mais utilizado, com 86% do volume total, seguido pelo modo aquaviário-rodoviário, com 13%. O modo aéreo-rodoviário teve uma participação menor, com apenas 1%.


O crescimento dessa operação de carga no Brasil tem atraído investimentos de empresas nacionais e estrangeiras, que buscam ampliar sua capacidade e sua rede de terminais intermodais. Um exemplo é a empresa Rumo Logística, que anunciou em novembro de 2020 um investimento de R$ 6,4 bilhões na construção de um novo terminal intermodal em Rondonópolis (MT), que será o maior da América Latina. O terminal terá capacidade para movimentar até 25 milhões de toneladas por ano e integrará os modos ferroviário e rodoviário.


Outro exemplo é a empresa DP World Santos, que opera o maior terminal portuário privado do Brasil, localizado em Santos (SP). A empresa anunciou em dezembro de 2020 um investimento de R$ 1 bilhão na ampliação do terminal e na construção de um novo terminal intermodal em Cubatão (SP), que integrará os modos aquaviário e ferroviário. O terminal terá capacidade para movimentar até 1 milhão de TEUs (unidade equivalente a um contêiner de 20 pés) por ano.



O transporte intermodal de carga é uma tendência mundial e uma oportunidade para o Brasil melhorar sua competitividade e sua sustentabilidade no cenário global. Para isso, é preciso investir em infraestrutura, tecnologia, regulação e integração entre os diferentes modos e agentes envolvidos na cadeia logística.


 

Ligações externas:



Comments


bottom of page