top of page

Portugal: exemplo de logística reversa.

Serviço gratuito de recolha porta-a-porta de grandes eletrodomésticos é exemplo dentro da Europa.



Eletrodomésticos velhos, retiram-se

Resumo:

  • Serviço gratuito de retirada de grandes eletrodomésticos a pedido do cidadão já é uma realidade em algumas cidades portuguesas.

  • Iniciativa visa facilitar a vida dos consumidores e contribuir para a preservação do meio ambiente.

  • Eletrodomésticos recolhidos são encaminhados para centros de tratamento especializados.

  • Segundo dados da Agência Portuguesa do Ambiente, em 2020 foram recicladas mais de 100 mil toneladas de resíduos de equipamentos elétricos e eletrônicos.

  • Portugal superou a meta estabelecida pela União Europeia de reciclar 65% dos eletrodomésticos colocados no mercado.


Quem mora em Lisboa e tem um grande eletrodoméstico fora de uso, como uma geladeira, um fogão ou uma máquina de lavar, já não precisa se preocupar em como se livrar dele. A Câmara Municipal de Lisboa (CML) e o Electrão, associação que gere a reciclagem de resíduos elétricos e eletrônicos em Portugal, lançaram um serviço gratuito de recolha porta-a-porta desses equipamentos, que são encaminhados para unidades licenciadas para a sua reciclagem. O serviço também aceita pequenos eletrodomésticos, lâmpadas e pilhas para reciclagem.


Segundo a CML, entre julho e novembro foram recolhidas cerca de 20 toneladas de grandes eletrodomésticos num total de 252 coletas. Só no mês de novembro foi possível recolher seis toneladas. O projeto-piloto e foi multiplicado por dez, devido à elevada adesão dos cidadãos.


O objetivo do serviço é facilitar a deposição dos resíduos elétricos e eletrônicos, que muitas vezes são colocados na via pública ou entregues a operadores não autorizados, comprometendo a sua reciclagem e podendo causar danos à saúde e ao ambiente. Além disso, o serviço pretende promover a reutilização dos equipamentos que ainda estão em funcionamento, entregando-os a instituições sociais.


Pedro Nazareth, diretor-geral do Electrão, afirma que o serviço é uma forma de incentivar os cidadãos a adotarem hábitos mais sustentáveis e contribuírem para o cumprimento das metas nacionais de recolha de resíduos. "Este é um projeto inovador que queremos replicar noutras cidades do país", diz.


Portugal superou a meta estabelecida pela União Europeia de reciclar 65% dos eletrodomésticos colocados no mercado em 2020, segundo dados do Parlamento Europeu. O país reciclou 81% dos resíduos de equipamentos elétricos e eletrônicos, ficando à frente de outros Estados-membros como a Croácia e a França. Esta é uma conquista importante para a transição para uma economia circular e para a redução da pegada ecológica da UE.



 

Ligações externas:

Comments


bottom of page