Nova Dutra, velho conhecido: CCR (CCRO3) vence o leilão e mantém a rodovia por mais 30 anos.

Atualizado: 14 de jan.

A CCR (CCRO3) ofereceu o maior desconto na tarifa de pedágio pela Dutra e, com isso, manteve a concessão da rodovia por mais 30 anos


Fonte : Victor Aguiar para Seu Dinheiro

Foto ANTT

O maior leilão de rodovias da história do país terminou sem novidades: a CCR (CCRO3) não deu chance para o azar e venceu o leilão da Nova Dutra, mantendo a concessão em seu portfólio por mais 30 anos. A empresa ofereceu um desconto de 15,31% sobre a tarifa básica de pedágio — a taxa máxima prevista no edital — e, com isso, superou a proposta de 10,60% feita pela EcoRodovias (ECOR3), a outra empresa que estava na disputa.

Como resultado, as ações da CCR passaram a subir fortemente na B3: logo após o anúncio do resultado, CCRO3 chegou a tocar os R$ 11,95, em alta de quase 4%. No fechamento, porém, os papéis já tinham virado o sinal, terminando o pregão em queda de 0,52%, a R$ 11,44.

Em linhas gerais, o mercado já esperava pela vitória da CCR no certame de hoje: por ser a atual concessionária da Dutra, a empresa teria melhores condições de avaliar os potenciais ganhos de eficiência nos investimentos a serem realizados nos próximos anos — e, consequentemente, poderia fazer uma proposta mais agressiva. A tese, assim, se confirmou.



A Nova Dutra


A nova concessão da Dutra envolve investimentos da ordem de R$ 15 bilhões, com outros R$ 11 bilhões em custos operacionais — são as maiores cifras para uma licitação rodoviária desde o início do programa de concessões de ativos de infraestrutura do governo federal.

Há, no entanto, uma novidade importante para a CCR: o trecho que será concedido à iniciativa privada engloba 625 quilômetros de pistas.


Além da conexão entre São Paulo e Rio de Janeiro pela Dutra — a estrada que já é administrada pela empresa —, o pacote também inclui uma parte da rodovia Rio-Santos, ligando a capital fluminense à cidade de Ubatuba, no litoral norte paulista.

CC-BY-SA

Entre as principais obras a serem realizadas, destaque para a duplicação da Serra das Araras, no Rio de Janeiro — uma obra bastante complexa e que foi discutida por anos entre a CCR e o governo federal, sem que um consenso fosse atingido entre as partes. A duplicação da Rio-Santos também está no escopo da concessão.

CCR (CCRO3) e o peso da Dutra


Para a CCR, a Dutra representa um dos ativos mais importantes em sua carteira de concessões. Em 2020, mais de 120 milhões de veículos passaram por seus 402 quilômetros de extensão — há seis praças de pedágio ao longo da rodovia. No ano passado, a concessão rendeu à empresa uma receita bruta de R$ 1,32 bilhão.