top of page

Nikola: agora voltada para caminhões a hidrogênio.

Após acusações de fraude, Nikola Motor foca em caminhões a hidrogênio. A empresa norte-americana vendeu sua participação em uma joint venture na Europa e anunciou que vai produzir os veículos com autonomia de até 1.450 km no mercado da América do Norte.


Caminhões a hidrogênio prometem autonomia de até 1.450 km e desempenho semelhante aos a diesel. Na foto o Two FCEV Sleeper

Resumo:

  • Nikola Motor foca na produção de caminhões a hidrogênio na América do Norte

  • Empresa vende participação em joint venture com a Iveco na Europa por US$ 35 milhões

  • Nikola já tem pedidos para 140 caminhões a hidrogênio e espera retomar a montagem em julho

  • Entregas previstas para final de 2023


A Nikola Motor anunciou que vai focar na produção de caminhões a célula a hidrogênio para o mercado da América do Norte. A empresa, que enfrentou acusações de fraude em 2020, disse que vai vender sua participação em uma joint venture com a Iveco na Europa por US$ 35 milhões e concentrar seus esforços nos modelos Nikola Tre Cabover e Nikola Two FCEV Sleeper, que prometem autonomia de até 1.450 km.

Os caminhões a hidrogênio da montadora usam motores elétricos alimentados por pilhas a combustível que geram eletricidade a partir do hidrogênio. Segundo a empresa, que também produz caminhões a bateria, disse que vai fabricá-los apenas sob encomenda para clientes específicos.


O sistema permite atender às necessidades de operação de longo alcance, com peso, capacidade e alcance semelhantes aos dos caminhões a diesel. A Nikola afirmou que já tem pedidos para o fornecimento de 140 caminhões a hidrogênio de 12 clientes e que já produziu dois do primeiro lote de 10 caminhões. A empresa está reequipando suas instalações no Arizona para produzir caminhões a hidrogênio e a bateria na mesma linha e espera retomar a montagem dos veículos em julho. A companhia também planeja lançar a produção de células de combustível de hidrogênio da Bosch até o final do ano.





 

Ligações externas :

Comments


bottom of page