top of page

NASA e startups testam aviação autônoma de carga nos EUA.

Atualizado: 16 de jun. de 2023

Pesquisadores da NASA visitam empresas que desenvolvem aviões de carga sem piloto e analisam dados de voos experimentais.


Leitura rápida

  • NASA colabora com startups de aviação autônoma de carga

  • Reliable Robotics testa aviões sem piloto com sucesso

  • Elroy Air cria protótipo de aeronave não tripulada com decolagem vertical

  • Pesquisadores coletam e analisam dados dos voos experimentais

  • Aviação autônoma pode trazer benefícios e desafios para o transporte aéreo

  • Serão realizados testes e demonstrações com apoio da Administração Federal de Aviação (FAA) dos Estados Unidos: suporte à logística aérea de meia milha

O Chaparral da Elroy Air

 

A aviação autônoma de carga pode ser uma realidade em breve nos Estados Unidos. Pesquisadores da NASA estão colaborando com duas startups que desenvolvem tecnologias para permitir que aviões de pequeno e médio porte transportem cargas sem a necessidade de um piloto humano.


Uma delas é a Reliable Robotics, que já realizou voos experimentais com dois modelos de aeronaves: o Cessna 172 Skyhawk e o Cessna 208 Caravan. A startup modificou o interior dos aviões com equipamentos e software que permitem que eles taxiem, decolem, manobrem e pousem de forma autônoma. O objetivo é encher os céus de aeronaves sem piloto transportando carga e passageiros.



Técnicos da agência espacial visitaram a sede da empresa na Califórnia e acompanharam um dos voos do Cessna, que sobrevoou o norte do estado por cerca de uma hora. Eles também coletaram dados sobre o desempenho do sistema de controle autônomo, a comunicação com o controle de tráfego aéreo e a segurança operacional.


As informações obtidas dos voos experimentais são analisadas por especialistas do Centro de Pesquisa de Radar Avançado da Universidade de Oklahoma,, do Armstrong Flight Research Center da NASA, do Ames Research Center e da própria da Reliable Robotics. A ideia é avaliar os benefícios e os desafios da aviação autônoma de carga e identificar oportunidades para melhorar as operações de tráfego aéreo.

Outra parceira da NASA é a Elroy Air, que está desenvolvendo um projeto para melhorar o transporte aéreo autônomo de carga. A startup criou um protótipo de uma aeronave não tripulada que pode transportar até 225 quilos de carga por até 480 quilômetros. O veículo tem asas fixas e decola e pousa verticalmente, como um helicóptero. Já foram realizados testes de voo com o protótipo na Califórnia e no Texas, e se planeja realizar mais testes em outros locais.



Espera-se desenvolver orientações para operações de Mobilidade Aérea Urbana (UAM), que envolvem veículos como aviões de entrega de cargas e até táxis aéreos. O acordo faz parte da Campanha Nacional de Mobilidade Aérea Avançada (AAM) da NASA, que busca resolver desafios como certificação e padronização, para acelerar a liderança dos EUA em tecnologias aeroespaciais automatizadas.


As organizações planejam demonstrar cenários operacionais integrados de AAM com voos do Chaparral, uma aeronave de carga vertical e decolagem da Elroy Air. Pretende-se também colaborar em revisões de segurança de voo e validação técnica, e integrar os sistemas de comunicação da sturtup uma estrutura de comunicação do espaço aéreo da agência. Com o apoio da Administração Federal de Aviação (FAA), a serão testados e demonstrados cenários de AAM em suporte à logística aérea de meia milha.


O apoio prestado à empresa pela NASA consiste em recursos financeiros e técnicos, além de fornecer acesso a instalações e equipamentos para os ensaios.


Segundo a agência, a aviação autônoma de carga tem potencial para reduzir custos, aumentar a eficiência e ampliar o acesso a áreas remotas. Espera que essa tecnologia contribua para reduzir as emissões de gases poluentes e o consumo de combustível na aviação.







 

LIGAÇÕES EXTERNAS:


Comentários


bottom of page