top of page

Ministro diz que pretende elevar modal ferroviário para 40% da matriz até 2035

Atualizado: 5 de jul. de 2023

Renan Filho Prevê para abril contrato para adequação do Ramal Ferroviário em Barra Mansa e visitas técnicas aos trechos 1 e 2 da Ferrovia de Integração Oeste-Leste (FIOL), a Ferrovia Norte Sul, EF-354 (a FICO) e Transnordestina.


Modal ferroviário expectativa de modernização logística

O ministro dos Transportes Renan Filho apontou que a evolução do modal ferroviário irá modernizar a logística, aumentar a competitividade e a sustentabilidade socioambiental, além de dar mais segurança às rodovias


Renan afirmou na segunda quinzena de janeiro que pretende elevar para 40% a participação do modal ferroviário na matriz logística até 2035. Hoje, as ferrovias correspondem a menos de 20% da matriz.


Ele apontou que a evolução do modal ferroviário irá modernizar a logística, aumentar a competitividade e a sustentabilidade socioambiental, além de dar mais segurança às rodovias.


A declaração foi dada em coletiva de anúncio sobre o plano de trabalho dos primeiros 100 dias da pasta, que inclui obras em ferrovias e abertura de estudos para novos projetos.


Ferrogrão e Fiol - O ministro elencou para o plano de 100 dias da pasta uma série de medidas focadas no setor ferroviário, envolvendo os projetos da Ferrogrão e das ferrovias de Integração Oeste-Leste (Fiol) – que já teve um segmento leiloado – e de Integração Centro-Oeste (Fico).


Ele antecipou que o plano do ministério é fazer uma concessão ‘pura’ para viabilizar o corredor Fico-Fiol, que deve englobar o trecho 2 da Fiol, além da possibilidade de o trecho 3 também ser incluído na concessão.


Renan Filho não prevê a necessidade de novos recursos do orçamento a serem aplicados nessas ferrovias antes da concessão. Por ora, a expectativa é a de que o ministério publique em abril o edital para o remanescente de obras do lote 7F da Fiol 2, a partir dos investimentos cruzados – garantidos com as renovações antecipadas de contratos.


A avaliação do ministro é a de que, com obras chegando a 65% do traçado 2 da Fiol, já haveria condições para licitar o corredor. “Isso também já levantaria condições para investimentos na Fiol 3, com 100% privado”, explicou Renan Filho.


 

Texto-base original Agência Estado, via CGN



Comentarios


bottom of page