ALGUÉM AÍ CONHECE O NURO?

Atualizado: 27 de jan.

Não, não é um personagem de anime, como o Naruto (bem, a gente aqui tinha pensado que era). É sim uma startup robótica americana voltada para entregas urbanas de pequeno porte. E a FEDEX vai testar.


Com informações: THE VERGE e E-Commerece Brasil by Reuters / Money Times

|contém adaptações|

FEDEX APOSTA NO VEÍCULO AUTÔNOMO PARA ENTREGAS URBANAS- FOTO: KROGER

Se a coisa vai pegar ou não é assunto para muito bate-boca. Observe-se, entretanto que no auge da primeira onda da pandemia a NURO foi autorizada a operar levando com o seu veículo robô o R2, alimentos, remédios e outros itens essenciais para pacientes com a COVID 19 internados no hospital de campanha Arena Sleep Train de Sacramento. Tudo sem gerar contato. E o fez com sucesso.


O fato é que o R2 já despertou o interesse da gigante FEDEX. Segundo a agência Reuters, Rebecca Yeung, vice-presidente de tecnologias avançadas e inovação da empresa disse que “ em vez de enviarmos um motorista para pegar os pacotes, um aparelho como os da Nuro pode ser super útil”. De acordo com a mesma fonte, Yeung considerou a parceria FedEx/Nuro como “muito séria e de longo prazo”.


O desenvolvimento da solução foi concluído em 2020 e a primeira cidade a receber a novidade foi Huston, no Texas. Acredita-se que o próximo estado norte-americano a ter o pequeno veículo autônomo a desfilar pelas ruas de suas cidades seja o da Califórnia.

Aliás, no mesmo dia em que foi autorizada pelo estado da Califórnia a realizar operações comerciais a jovem companhia anunciou a compra da IKE, outra startup especializada na construção de caminhões também autônomos.


O primeiro negócio fechado pela Nuro foi com a Domino’s, uma das maiores redes de pizzarias do planeta. Para retirar sua pizza quentinha de dentro do R2, o cliente precisa apenas digitar um código. Tudo isso integralmente rastreável por GPS.



Não se recomenda muito duvidar que num futuro não tão distante, operações de entrega urbana com esse tipo de veículo estejam acontecendo por aqui. Já, quanto aos caminhões…bom, como dizia certo bordão, “isso é uma outra história que fica para uma outra vez”. Embora possa se imaginar que uma empresa que levanta US$ 940 milhões em investimentos do SoftBank Group, não esteja no mundo dos negócios a passeio.