Indicadores de infraestrutura revelam recuperação da atividade econômica ao nível pré-pandemia


Dez dos 15 indicadores monitorados no Relatório Mensal de Infraestrutura da Confederação Nacional da Indústria (CNI) registraram alta no primeiro trimestre de 2022 na comparação com o mesmo período de 2021.


Da Agência de Notícias da Indústria

Da Agência de Notícias da Indústria


Foto: José Paulo Lacerda/CNI Infografia: Juliana Bezerra


Dez dos 15 indicadores monitorados no Relatório Mensal de Infraestrutura da Confederação Nacional da Indústria (CNI) registraram alta no primeiro trimestre de 2022 na comparação com o mesmo período de 2021. De acordo com levantamento da CNI, o maior aumento foi verificado no transporte aéreo de passageiros, que teve um salto de 57%. No ano de 2021, diversos setores da economia apresentaram recuperação da atividade, após uma queda no desempenho provocada pela pandemia do Covid-19.

Os dados dos indicadores acompanhados pela CNI agora também podem ser acessados de forma virtual. A CNI lançou e, maio a versão digital do Relatório de Infraestrutura. No Painel CNI da Infraestrutura Brasileira é possível acessar a série histórica de indicadores, fazer filtros personalizados e baixar os dados. [ Acesse o painel]


Entre os maiores destaques da comparação entre o primeiro trimestre deste ano com o mesmo período do ano passado também estão o crescimento do consumo aparente de petróleo, com alta de 16%, e do transporte de cargas aéreas (14%). Os outros itens que tiveram aumento de demanda foram: acessos à internet fixa (11%), transporte ferroviário de mercadorias gerais (9%), acessos à internet móvel (8%), consumo comercial de energia elétrica (6,6%), produção nacional de gás natural (6,4%), tráfego total em rodovias pedagiadas (6%) e consumo residencial de energia elétrica (1%).

Queda no transporte marítimo - Outras atividades econômicas apresentaram uma queda no primeiro trimestre de 2022 em comparação com o mesmo período do ano anterior. Após registrar uma significativa expansão em 2021, a movimentação de carga no transporte marítimo apresentou queda de 4% na navegação de cabotagem e de 3% transporte marítimo para comércio exterior. Outros indicadores que tiveram queda no período comparado foram: transporte ferroviário de minério de ferro (-9%), tráfego de caminhões em rodovias pedagiadas (-3%) e consumo industrial de energia elétrica (- 1,1%).

Os dados revelam uma recuperação dos efeitos da paralisação econômica e social ocasionados pela pandemia, ainda que desigual, e mudanças de comportamento dos consumidores, como o aumento do consumo residencial de energia e internet.




 

Os artigos e materiais aqui reproduzidos não representam necessariamente a opinião de TRC IN TIME.

A presente matéria é reproduzida de outra publicação e obedece a legislação brasileira de direitos autorais (Artigo 46 da Lei nº 9.610 / 1998) / This article is reproduced from another publication and complies with Brazilian copyright legislation (Article 46 of Law No. 9,610 / 1998 Copyright Article 46 of Law No. 9,610 of February 19, 1998).

 

cubpb.gif