top of page

Hidrovias brasileiras em alta: recorde de cargas em 2023

O transporte de cargas por hidrovias no Brasil bateu recorde nos primeiros cinco meses de 2023. A região amazônica liderou o volume, seguida pelo Paraguai, Tocantins-Araguaia e Atlântico Sul. O governo federal investiu R$ 177 milhões no modal hidroviário, incluindo obras de dragagem.


Transporte hidroviário aumenta a competitividade dos produtos brasileiros no exterior

Leitura rápida:

  • Transporte hidroviário bate recorde nos primeiros cinco meses de 2023

  • Região amazônica lidera o volume de cargas movimentadas, com 32,1 milhões de toneladas

  • Região do Paraguai tem o maior crescimento percentual, com 52,9%

  • Governo federal investe R$ 177 milhões no modal hidroviário, sendo R$ 50 milhões em dragagens

  • Dragagem do Rio Madeira é concluída e garante aprofundamento do canal

  • Modal hidroviário é estratégico para ampliar a capacidade logística do país

  • Transporte hidroviário aumenta a competitividade dos produtos brasileiros no exterior

O transporte de cargas por hidrovias no Brasil alcançou um recorde histórico nos primeiros cinco meses de 2023. Segundo dados do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), foram movimentadas 51,2 milhões de toneladas de mercadorias nas quatro regiões hidrográficas que compõem o conjunto logístico de vias interiores do país.


Esse volume representa um aumento de 6,53% em relação ao mesmo período de 2022 e é o melhor resultado da série histórica para os cinco primeiros meses do ano. A região amazônica foi a que mais se destacou, com o escoamento de 32,1 milhões de toneladas entre janeiro e maio de 2023, um crescimento de cerca de 10% na comparação com o ano anterior.


A região hidrográfica do Paraguai foi a que teve o maior aumento percentual, com 52,9% (mais de 3,3 milhões de toneladas transportadas). Pelos rios da região do Tocantins-Araguaia passaram 18,6 milhões de toneladas, um aumento de 0,8%, se comparado aos cinco primeiros meses de 2022. Na região do Atlântico Sul, o total de cargas escoadas chegou a 2,2 milhões de toneladas.


O governo federal investiu R$ 177 milhões no modal hidroviário nos primeiros seis meses do ano, sendo R$ 50 milhões destinados a obras de dragagens em rios estratégicos para o transporte de cargas em diferentes regiões. Um exemplo é a conclusão da dragagem da hidrovia do Rio Madeira.


O trabalho consiste na extração de rochas para garantir o aprofundamento do canal e viabilizar a navegação e o transporte de cargas ao longo do rio. Por isso, o governo federal tem priorizado o modal como uma das estratégias para ampliar a capacidade logística do País e aumentar a competitividade dos produtos brasileiros no mercado internacional.



 

Ligações externas:


Kommentare


bottom of page