top of page

Chile: inovações logísticas para 2023

O ano de 2022 foi uma temporada de importantes avanços na tecnologia para a logística.

IoT: a revolução na logística

A verdade é que as cadeias de suprimentos estão ficando mais inteligentes graças aos dados em tempo real. Mas e 2023? A agregação de diversas ferramentas pode representar verdadeira revolução na logística, ainda este ano. Conheça ou lembre-se de algumas delas:


Internet das Coisas - a tecnologia da Internet das Coisas (IoT) é uma das inovações logísticas mais importantes. Em 2023, a IoT será totalmente integrada ao setor de logística, melhorando a eficiência e trazendo custos reduzidos. Os sensores IoT serão usados para rastrear o movimento de mercadorias e produtos em toda a cadeia de suprimentos.

 
LEIA TAMBÉM:
 

Robótica - a robótica vai mudar as regras do jogo das inovações logísticas e seu impacto deve aumentar nos próximos anos. Aqui estão alguns: aumento do uso de robôs colaborativos; redução de furtos nas entregas; melhoria da gestão do depósito; maior utilização de veículos autônomos e melhor rastreamento.


Big Data - big data é outra importante inovação logística que deve revolucionar setor de logística até 2023. Ao Rastrear e analisar grandes conjuntos de dados, as empresas de logística poderão otimizar suas operações e atender melhor às necessidades de seus clientes. O Big Data também permitirá novos níveis de transparência e colaboração entre diferentes partes da cadeia de suprimentos.


Análise de dados - Uma das vantagens mais úteis da adoção de novas tecnologias logísticas é o acesso a análises avançadas para identificar e corrigir problemas na cadeia de suprimentos. Um exame detalhado dos dados – como dados de fluxo de tráfego, incluindo seus padrões de manutenção e entre muitos outros – pode ser usado para antecipar possíveis problemas em qualquer estágio.

Este último ponto é de grande importância, pois com o aumento da digitalização surge uma série de possibilidades para obter informações. Em 2021, entrou em vigor na UE uma regra que torna as empresas e suas cadeias de suprimentos responsáveis pela defesa dos direitos humanos e da sustentabilidade.


A partir de 2023, as empresas com uma força de trabalho menor que 3.000 trabalhadores estarão concentrados em evitar a todo custo o trabalho infantil, a exploração, a discriminação e a proteção inadequada da legislação trabalhista e a destruição do meio ambiente: extração ilegal de madeira, uso indevido de pesticidas, poluição dos recursos hídricos e poluição do ar.

 

Texto-base original: Mas Conteiner (Chile)

Comments


bottom of page