top of page

CEO da Volkswagen Trucking vê aumento do lucro no esforço de corte de custos

A Traton SE, da Volkswagen AG, espera que a rentabilidade de suas marcas MAN e Scania melhore em 2023.



A fabricante alemã de caminhões reduz Traton SE espera que a medida em que a os custos de produção após a experiência contundente da crise global da cadeia de suprimentos aumente sua rentabilidade.


A MAN está transferindo a produção de duas fábricas na Áustria e na Alemanha para a Polônia, onde os custos são menores, colocando-a em uma posição melhor para atingir o ponto de equilíbrio do segundo semestre, disse o presidente-executivo da Traton, Christian Levin, em entrevista."Com a estabilização dos volumes e a reestruturação acontecendo, espero muito da MAN", disse, acrescentando que também vê as margens da Scania melhorando à medida que as restrições de oferta diminuem.


Ainda segundo o CEO, a Traton tem lutado com uma lucratividade mais fraca do que o esperado. Apesar de venda recorde, a MAN sofreu com a escassez de peças exacerbada pela guerra na Ucrânia, enquanto a Scania foi prejudicada pelo aumento de uma nova linha motriz que exigiu o fornecimento de mais de 50% de novos componentes e a construção de relacionamentos com novos fornecedores, disse e acrescentou que a empresa estava todos os meses “esperando aumentar a produção,então tínhamos pessoal completo e custos totais, e então todos os meses ficamos desapontados por não sermos capazes de fabricar os veículos que planejamos".


A Traton, que abriu seu caminho para o lucrativo mercado norte-americano com a aquisição da Navistar International, sofreu vários contratempos após 2019. Levin foi nomeado CEO em 2021 para tornar a Traton apta para a era elétrica, melhorar a cooperação entre suas marcas e criar um novo centro de fabricação na China.


Ele também está supervisionando o desenvolvimento do empreendimento de € 500 milhões (US $ 542 milhões) da Travon com a Daimler Truck Holding AG e a Volvo AB para construir mais de 1.700 pontos de carregamento de veículos comerciais na Europa até 2027.


 

Texto-base original em inglês: Monica Raym, para Bloomberg



Posts recentes

Ver tudo
bottom of page