top of page

CCR Aeroportos apresenta estratégia para aumentar voos cargueiros internacionais

Atualizado: 24 de mai. de 2023

A CCR Aeroportos anunciou uma estratégia para ampliar a malha de voos cargueiros internacionais em seus aeroportos.


CuboMágico, com informações de CCR Aeroportos



Com seis terminais de carga aérea internacional, A CCR Aeroportos busca incentivar as companhias aéreas a criar novas rotas, levando agilidade e desenvolvimento aos mercados em que atua. Ela entende que sua capilaridade permite dialogar com todo o trade e planejar o aumento da malha cargueira no país. Atualmente, cerca de 70% dos processos de liberação aduaneira de cargas aéreas que chegam do exterior, destinadas aos Estados do Paraná, Santa Catarina, Goiás e Maranhão, ocorrem em São Paulo, o que gera um elevado tráfego rodoviário e tempo adicional para levar essas mercadorias até o destino, reduzindo drasticamente as vantagens de uma importação por via aérea.


Para Maria Fan, Gerente Executiva de Cargas da CCR Aeroportos, a criação de novas rotas e conexões é fundamental para quebrar paradigmas em um setor que ainda tem muito a crescer. "Na Intermodal, vamos conversar com os vários elos da cadeia logística para a criação de novas rotas, conexões e oportunidades", afirma.


Além disso, a redução do tempo de trânsito e do excesso de manuseio da carga nas conexões aéreas e rodoviárias são benefícios valiosos para produtos e equipamentos destinados a linhas de produção, pesquisas, projetos especiais ou mesmo de consumo imediato.


Com essa estratégia, a CCR Aeroportos busca proporcionar maior agilidade ao transporte de cargas, ampliando a malha aérea cargueira em um país de dimen.


A descentralização do transporte de cargas para diversos aeroportos, trará muitos benefícios para a economia brasileira, segundo a concessionária de aeroportos CCR Aeroportos. Fan destaca que a geração de renda e emprego é uma das diretrizes da empresa. A ampliação, conexão e qualificação do transporte de cargas em diferentes áreas são essenciais para alcançar esse objetivo.


O Aeroporto Internacional de Curitiba é capaz de receber os cargueiros de maior porte, como o Boeing 747F e o Boeing 777F, e opera seis voos semanais que conectam a cidade diretamente à Europa e aos Estados Unidos. Entretanto, a infraestrutura do aeroporto poderia absorver o dobro da demanda atual, o que pode ser ampliado com as obras da terceira pista de pouso e decolagem.


Os aeroportos de Joinville e Navegantes, ambos em Santa Catarina, também têm infraestrutura para a expansão do tráfego de cargas, devido à indústria da região norte do estado. Navegantes, porta de entrada para a região do Vale do Itajaí, já conta com um novo terminal de cargas recém-inaugurado, com capacidade de expansão para até 100 mil m². Joinville, a maior cidade catarinense, também ganhará um novo terminal de cargas no aeroporto em breve. Ambos, juntos, movimentam 82% da demanda de importações e exportações aéreas da Região Sul.


Em São Luís, os voos cargueiros já conectam o Aeroporto de Guarulhos ao da cidade, beneficiando as empresas maranhenses, onde é crescente a demanda por importações para o setor de infraestrutura e energia. Além disso, as cargas marítimas também são liberadas no terminal de cargas daquele aeroporto, com maior agilidade em relação aos portos.


O Aeroporto de Petrolina possui uma pista de pouso e decolagem com 3.700 m, uma das maiores do país, e o terminal de cargas conta com oito câmaras frias para armazenamento de frutas da região para exportação. A CCR Aeroportos anunciou um programa de incentivos às empresas aéreas visando a retomada das operações aéreas cargueiras regulares naquele aeroporto, reduzindo entre dois a três dias o tempo de transporte.


O Aeroporto Internacional de Goiânia terá um novo terminal de cargas dedicado às importações de produtos farmacêuticos e planeja voos cargueiros internacionais da Europa, Ásia e Estados Unidos para melhorar a logística de transporte dessas cargas. A concessionária busca oferecer oportunidades para novos armazéns de carga em seus aeroportos, tornando-os importantes centros logísticos com fácil acesso aos modais aéreo e rodoviário para a distribuição de cargas pelo país.l


Comments


bottom of page