Caminhões autônomos fazem sentido? Caminhão de melancias prova que sim.

Atualizado: 28 de jan.

Caminhões autônomos fazem sentido? Caminhão de melancias prova que sim.

Caminhão autônomo da TuSimple

Quando a maioria das pessoas pensa em veículos autônomos, sonham em entrar no carro e relaxar, ou dormir, enquanto o carro as leva sem preocupações para o trabalho, a academia Mas é o seguinte. Os caminhões autônomos provavelmente chegarão às estradas muito antes dos carros de passeio autônomos. Eles são muito mais fáceis de automatizar, inclusive porque seguem essencialmente as mesmas rotas, dia após dia. Os passageiros individuais, por outro lado, costumam tomar rotas totalmente diferentes para chegar ao mesmo destino, dependendo do dia da semana, do tráfego e de vários outros fatores.

Eles são muito mais fáceis de automatizar, inclusive porque seguem essencialmente as mesmas rotas, dia após dia. Os passageiros individuais, por outro lado, costumam tomar rotas totalmente diferentes para chegar ao mesmo destino, dependendo do dia da semana, do tráfego e de vários outros fatores.

No mundo da automação, quanto mais permutações uma máquina tiver de contabilizar, mais difícil será definir com eficácia a automação dessa tarefa.

É por isso que a tecnologia de direção autônoma está prosperando em caminhões antes de


Case

A TuSimple, startup com sede em San Diego, Califórnia, está desenvolvendo uma solução para essa modalidade de veículos para criar caminhões autônomos movidos por hardware e software de classe mundial, o que inclui parceria com a Navistar e Traton.

Em 2020 companhia criou instalações no Mobility Innovation Zone da Alliance Texas, que oferece mobilidade acesso total a um ecossistema com recursos e parcerias para testar, dimensionar e comercializar suas tecnologias de forma abrangente. O novo hub permitirá que a TuSimple estabeleça rotas para Austin e Houston. A empresa já movimenta cargas entre o Texas e o Arizona.

O projeto AllianceTexas possui 105 mil m2 norte de Fort Worth, e o local agora abriga pelo menos 525 empresas. Para tanto, foram aportados investimentos da ordem de US $ 7,3 bilhões em 2019.



AllianceTexas

Os caminhões autônomos dirigem sozinhos, é verdade, mas têm o que é conhecido como um “motorista de segurança” ao volante e um engenheiro de testes no banco do passageiro para monitorar o veículo, de acordo com a empresa. Mas a startup espera começar a remover humanos da equação já em 2021, com transporte totalmente isento de motorista em um número limitado de rotas.

Em comunicado, o governador do estado Greg Abbott disse: “Temos o prazer de dar as boas-vindas à TuSimple ao Texas, adicionando a empresa à nossa lista de empresas líderes nacionais envolvidas na implementação de plataformas de mobilidade de próxima geração A AllianceTexas Mobility Innovation Zone oferece a infraestrutura, o cenário e a escala perfeitos para a empresa lançar sua expansão nacional e operações no 'Texas Triangle ' ”

Recentemente, a companhia enviou com sucesso um de seus caminhões de direção autossuficiente pelos Estados Unidos carregado com melancias. A viagem inteira levou 10 horas a menos do que faria veículo convencional. Isso representa uma economia de tempo de 42% para os otimistas para os acionistas.

A TuSimple tem cerca de US $ 1,5 bilhão em caixa no balanço patrimonial e grandes Union Pacific, entre.

É de se observar, todavia, que, por outro lado, a presença de caminhões (e outros veículos) autônomos também envolve uma questão de segurança. Há riscos para qualquer veículo que está conectado a uma rede, e caminhões inteligentes apresentam ainda mais vulnerabilidades a ciberataques. As empresas de logística precisarão encontrar novas maneiras para proteger os veículos de roubos de carga.


 

Notas da redação


1 Esta matéria é uma adaptação dos textos dos veículos e dos autores nominalmente citados na publicação de origem TheDallas Morning News( (Dom DiFurio) | Aliance Texas | Tiinside | Investor Place [Luke Lango] – Leia originais em inglês


2 -Nem sempre as datas de posts reproduzidos e/ou resumidos coincidem com as da publicação do veículo de origem.