top of page

As mortes no trânsito e o transporte de minério

A demora e as falhas nas ações resultam em perda de vidas. No chamado trecho do minério, uma morte é registrada a cada 12 dias, segundo levantamento da PRF


Texto base original: O Tempo



A mineração sem o cerco da sustentabilidade provoca danos que afetam até o trânsito, como mostra matéria do repórter Rayllan Oliveira, em O TEMPO. Caminhões carregados de minério são apontados como responsáveis por parte dos acidentes na BR-040, entre Nova Lima e Cristiano Otoni.


O tráfego de caminhões transportando minério aumentou ainda mais na região, segundo moradores ouvidos pela reportagem. Essa percepção está de acordo com os dados do Sindicato das Empresas de Transportes de Cargas e Logística de Minas Gerais (Setcemg-MG). O transporte de cargas cresceu 14% no primeiro semestre de 2022 em comparação com o mesmo período de 2021, impulsionado, principalmente, pela demanda das mineradoras.


O transporte do minério desgasta a pavimentação, apaga a sinalização e dificulta o tráfego de carros de passeio. Uma combinação letal.

Isso exige das instituições o controle rígido de peso das cargas e o reparo ágil das rodovias danificadas. No caso da 040, a concessionária responsável pelo trecho disse ter realizado uma série de ações para recuperar a sinalização e o asfalto, e o Ministério Público exige melhorias.


Os mineiros aprenderam de forma dolorosa que, quando o assunto é mineração, a segurança deve vir em primeiro lugar. A demora e as falhas nas ações resultam em perda de vidas. No chamado trecho do minério, uma morte é registrada a cada 12 dias.

A atividade minerária é essencial na economia de Minas, representando cerca de 8% do PIB estadual, de acordo com a FIEMG. Até pela própria importância do setor, ele deve ser baseado na sustentabilidade.


É claro que o transporte de minério é um dos fatores que contribui para a violência nas estradas mineiras. Basta notar que as rodovias ainda têm buracos provocados pelas chuvas da virada do ano de 2021 para 2022.

Independentemente das causas, elas devem ser enfrentadas com coragem pelos representantes eleitos pelos mineiros, pelas instituições de fiscalização e pela Justiça.

A demora e as falhas nas ações resultam em perda de vidas. No chamado trecho do minério, uma morte é registrada a cada 12 dias, segundo levantamento da PRF

A mineração sem o cerco da sustentabilidade provoca danos que afetam até o trânsito, como mostra matéria do repórter Rayllan Oliveira, em O TEMPO. Caminhões carregados de minério são apontados como responsáveis por parte dos acidentes na BR-040, entre Nova Lima e Cristiano Otoni.


O tráfego de caminhões transportando minério aumentou ainda mais na região, segundo moradores ouvidos pela reportagem. Essa percepção está de acordo com os dados do Sindicato das Empresas de Transportes de Cargas e Logística de Minas Gerais (Setcemg-MG). O transporte de cargas cresceu 14% no primeiro semestre de 2022 em comparação com o mesmo período de 2021, impulsionado, principalmente, pela demanda das mineradoras.


O transporte do minério desgasta a pavimentação, apaga a sinalização e dificulta o tráfego de carros de passeio. Uma combinação letal.

Isso exige das instituições o controle rígido de peso das cargas e o reparo ágil das rodovias danificadas. No caso da 040, a concessionária responsável pelo trecho disse ter realizado uma série de ações para recuperar a sinalização e o asfalto, e o Ministério Público exige melhorias.


Os mineiros aprenderam de forma dolorosa que, quando o assunto é mineração, a segurança deve vir em primeiro lugar. A demora e as falhas nas ações resultam em perda de vidas. No chamado trecho do minério, uma morte é registrada a cada 12 dias.

A atividade minerária é essencial na economia de Minas, representando cerca de 8% do PIB estadual, de acordo com a FIEMG. Até pela própria importância do setor, ele deve ser baseado na sustentabilidade.


É claro que o transporte de minério é um dos fatores que contribui para a violência nas estradas mineiras. Basta notar que as rodovias ainda têm buracos provocados pelas chuvas da virada do ano de 2021 para 2022.

Independentemente das causas, elas devem ser enfrentadas com coragem pelos representantes eleitos pelos mineiros, pelas instituições de fiscalização e pela Justiça.



Comments


bottom of page